quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

DILMA PREJUDICA O TRABALHADOR E AGORA A SOCIEDADE

DILMA PRIMEIRO TIRA O DIREITO DE TRABALHADOR
AGENTES PENITENCIÁRIOS   IRONIZAM VETO DA PRESIDENTA  DILMA COM NOVO ARMAMENTO:

COLOCA A NOVA ARMA DE TRABALHO
ESTILINGUE DE PLASTICO NA MÃO

  • Armados com estilingues de plástico, membros da categoria paralisaram parte dos serviços em Vilhena/RO.
  • Os agentes lotados em Vilhena também aderiram ao movimento nacional em repúdio ao veto da presidenta Dilma Rousseff (PT), que proíbe o uso de arma de fogo pela categoria fora do horário de trabalho.
  • Todas as unidades do sistema prisional brasileiro aderiram ao movimento e paralisaram os serviços carcerários durante toda esta última quarta-feira, 30. Em Vilhena a manifestação está sendo discreta.
  • Os agentes foram trabalhar com estilingues de plásticos e também interromperam os serviços cotidianos. O delegado sindical Gean Acrisio disse que o porte de arma para os agentes é de suma importância por dois motivos principais. O primeiro é o fato de o profissional manter um relacionamento próximo com os detentos, que pode gerar atritos entre agente e preso.
  • O segundo é o fato de os agentes fazerem escolta de detentos a outros estados com frequência. Acrisio explica que se os profissionais da área tivessem autorização do uso de armas de fogo o serviço seria muito mais ágil e menos burocrático.
  • temos o nosso porte dentro do estado, porém como saímos com frequência eliminaríamos a burocracia para circular com arma de fogo em outras regiões”, explicou do delegado sindical.
  • Dilma vetou o projeto de lei com base no programa de desarmamento, alegando que sua posição tem o intuito de reduzir o número de armas de fogo circulando pelas ruas, fato que gerou transtornos junto à categoria.

Fontes: Jornal Extra de Rondônia e brasilandiavip.com


AGORA DE ÚLTIMA HORA PEGOU A SOCIEDADE DE SURPRESA OU SEJA O POVO BRASILEIRO.




NOTÍCIAS RADIO JORNAL

30/01/2013 - 16h52

Agentes penitenciários de Caruaru aderem à paralisação nacional da categoria

Da Rádio Jornal
Dos 60 agentes da Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, 18 aderiram a paralisação nacional que começou às 00h desta quarta-feira (30). De acordo com a diretoria do presídio, os agentes reivindicam o direito de andarem armados enquanto não estiverem exercendo os serviços na unidade.
A diretora, Sirlene Rocha, explica que os serviços na penitenciária seguem normais.
Ouça na reportagem de Michele Veloso, da Rádio Jornal Caruaru

Nota de Esclarecimento à Categotia

Esclarecimento sobre a presença nas UP's dos ASP's lotados na SERES, durante a paralisação do dia 30/01/2013.

Gostaríamos de informar a todos os companheiros o que houve, por parte deste Sindicato, foi feita uma orientação para que todos os Agentes Penitenciários lotados na SERES, os quais estavam sendo obrigados (sofrendo assédio moral) a permanecerem em uma Unidade determinada, no dia da paralisação, a cumprirem a determinação da SERES, sem, no entanto, exercerem qualquer atividade laboral.

Esta orientação foi baseada em dois princípios lógicos: primeiro, já que os agentes lotados na SERES não iriam exercer nenhuma atividade, naquele dia, permaneceriam sem trabalhar (apoiando os companheiros do plantão quanto a possibilidade de sinistros) - só que na UP. Isto em nada alteraria o objetivo da categoria, que era o de parar as atividades do ASP naquele dia; Segundo, se os agentes lotados na SERES se negassem a cumprir com a determinação poderiam sofrer retaliações e, isoladamente, serem punidos, o que em nada interessava a ninguém, a não ser para aqueles que tentam dividir a categoria. Apesar das divergentes opiniões estamos todos no mesmo barco. Ou seria mais interessante tirar o ASP da SERES e colocar mais um PM's para ocupar nosso espaço?

Diante do exposto, e sendo sabedores de que houve casos em que a ida dos ASP's diaristas para as Unidades não foi passivamente compreendida por alguns colegas, reafirmamos a nossa posição e orientação dada, ao tempo em que solicitamos uma maior compreensão e união da categoria, já que nossa luta é por uma categoria firme e unida, que jamais seja desagregada por mal-entendidos, ou radicalismos descabidos e absurdos. Neste sentido é valido relembrar que a divisão só é favorável aos inimigos da categoria. Já Deixou claro o Supremo Mestre Jesus Cristo: "Nenhum reino dividido subsistirá". Com certeza só os partidários da teoria do caos persistem em alimentar esta situação. Certamente, Nosso Senhor nos adverte para o nosso bem. Só unidos teremos força par mudar este quadro vergonhoso que nós é imposto pela SERES.

Nivaldo de Oliveira Júnior
Presidente do SINDASP/PE

Notícia de Cardinot: Agente penitenciário desmente numero de presos que fugiram do Aníbal Bruno

Mais de 80 presos fugiram do Presídio Frei Damião de Bozzano - PFDB, que faz parte do Complexo do Curado, o antigo Antigo Aníbal Bruno.

Após a recaptura de de 16 presos, ainda ficaram faltando 66 que ficaram foragidos. Como mostra a lista nominal dos presos neste link:

No plantão só tinham 10 agentes, sendo que 2 deles estavam custodiando um preso no hospital e o terceiro estava de folga ficando apenas 7 na permanência para todas as atividades dentro do presídio.

Um deles foi surpreendido a tiros por bandidos armados com revolver calibre 38 que foi jogado pelo muro durante à noite. Os bandido atiraram em mais um agente fazendo-o de refém para a fuga. Os 2 agentes, após serem baleados, tiveram suas armas tomadas pelos bandidos que fortaleceram o armamento deles e rendendo mais um agente que também teve sua arma tomada. Os bandidos fugiram levando este último agente como refém e escudo e 5 armas, duas deles e 3 dos agentes.

Nesta unidade possui aproximadamente 1500 presos para um efetivo de mais ou menos 40 agentes divididos em 4 plantões. O mínimo necessário, segundo o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária - CNPCP em sua Resolução 09/2009, artigo 1ºexige-se a proporção mínima de 5 (cinco) presos por agente penitenciário. Portando, deveriam ter 300 agentes nesta Unidade, ou seja, pelo menos 75 agentes em cada plantão.

NOTA: São Agentes Penitenciário de Polícia Civil* e não Agentes Socioeducativos como foi dito em matéria da TV Globo Nordeste dia 26/01/13.

Assista ao Vídeo da matéria no Programa de Cardinot na TV CLUBE:


Fonte: cardinot.com.br

Os Agentes Penitenciários de Polícia Civil fazem parte do quadro da Polícia Civil conforme a Lei de criação, em pleno vigor, nº 10.865/93 de PE (clique aqui e confira a Lei) e ainda como está descrito no Ministério da Justiça (clique aqui e veja no site do MJ)

NOTÍCIA DA FOLHA DE PERNAMBUCO DIA 31 DE JANEIRO DE 2013

Grande Recife

Falta de efetivo criticado por categoria 
31/01/2013 - 02:02

Para o Sindasp-PE, um número adequado de agentes penitenciários poderia ter evitado a fuga de detentos do Presídio Frei Damião de Bozzano, no Complexo do Curado, antigo Presídio Aníbal Bruno, no último sábado. “São dez agentes de plantão. No dia da fuga ha­via sete porque um estava de folga e dois fazendo a custódia de detentos em hospitais. Isso mostra a falta de efetivo e de estrutura”, apontou o presidente da entidade, Nivaldo de Oliveira Júnior.

Ele afirmou ter acompanhado a contagem dos reedu­candos no dia da fuga. “Após a recaptura dos 16, ainda faltavam 65. Não fugiram mais presos porque alguns que trabalham como chaveiro, o que eles chamam de assistente operacional, fecharam as grades e impediram que outros saíssem”, revelou.

O número apontado pelo Sindasp-PE é quase três vezes maior do que o oficial divulgado pela Seres, que afirma que 21 presos continuam foragidos e 17 foram recapturados. A secretaria informou ainda que uma média de 30 agentes de segurança penitenciária atuam diariamente no Presídio Frei Damião de Bozzano e que, além disso, a segurança da unidade é reforçada por policiais militares (guaritas) e motopatrulhamento (área externa). Uma sindicância irá determinar em que circunstâncias o episódio aconteceu.

No próximo domingo, a Ouvidoria de Direitos Humanos de Pernambuco estará das 8h às 13h dentro da unidade prisional para atender as famílias dos detentos. Eles irão prestar esclarecimentos sobre a fuga.

NOTÍCIA : FOLHA DE PERNAMBUCO DO DIA 31 DE JANEIRO DE 2013

Grande Recife
Ato nos presídios teve adesão de agentes de PE

durante 24 horas profissionais trabalharam apenas com 30% do efetivo
31/01/2013 02:03 - PRISCILLA AGUIAR

Widio Joffre
VISITAS foram mantidas apenas no
Centro de Triagem de Abreu e Lima
Os agentes penitenciários de Pernambuco aderiram à paralisação nacional e cruzaram os braços ontem. A medida atingiu unidades estaduais e federais de todo o Brasil e foi realizada em protesto contra o veto do Projeto de Lei Complementar (PLC 087/2011), que permitiria que os agentes portassem armas de fogo em horário integral. A recomendação do Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário de Pernambuco (Sindasp-PE) era de que, durante as 24 horas de paralisação, apenas serviços como socorro aos pacientes, alimentação dos presos, alvará de soltura e cumprimento dos mandados de prisão fossem realizados.

Com isso, as visitas íntimas, apresentações judiciais e atendimento aos advogados de reeducandos do sistema prisional foram suspensas. Apesar de terem autorização para portar armas fora das penitenciárias, os agentes de Pernambuco participaram da paralisação nacional em solidariedade aos profissionais de outros estados. “Apenas agentes de cinco estados podem portar arma fora do serviço. Trabalhamos dentro de presídios, passamos informações sobre os detentos para o serviço de inteligência. Uma restrição do porte de arma ao horário de trabalho nos deixaria descobertos em alguma tentativa de vingança por parte dos presos”, observou o presidente do Sindasp-PE, Nivaldo de Oliveira Júnior.

O Estado conta com 20 unidades prisionais, 67 cadeias públicas e três regionais, de acordo com o Sindasp-PE. Destas, apenas o Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, que é a porta de entrada para o sistema prisional do Estado, manteve as visitas. Cerca de 600 pessoas estiveram ontem na unidade para visitar os detentos. Normalmente o número de visitantes chega a mil. Enquanto alguns diziam não saber da paralisação, outros afirmavam estar inseguros diante da greve de advertência.

Sete agentes estavam na unidade para garantir a segurança dos cerca de 720 detentos e 600 familiares. Isto porque, dos nove agentes penitenciários em regime de plantão, dois trabalhavam na custódia de detentos em unidades de saúde. O Sindasp-PE garantiu que o número limite de 30% dos servidores trabalhando foi respeitado, conforme determina a lei de greve.

Ainda assim, foi observado pelo sindicato que, durante a entrada dos visitantes ontem no Cotel, a revista foi feita por detentos das unidades, vistoriados por dois agentes. A informação foi negada pelo diretor do Cotel, João Fernandes. Ele alegou que os quatro presos que trabalham na unidade ajudam na parte logística das revistas, ajudando a pegar as sacolas e colocando em uma máquina que é vistoriada por um agente.

O número insuficiente de agentes penitenciários é outro ponto levado em consideração pelo Sindasp-PE. Eles destacam que são 1,5 mil agentes penitenciários para um total de 26 mil detentos. “A proporção é de 16 presos para cada agente em Pernambuco, enquanto na Paraíba são quatro por agente”, salientou o vice-presidente do Sindasp-PE, João Batista de Carvalho.

Por meio de nota oficial, a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) comunicou que entende a reivindicação dos agentes de segurança penitenciária em relação ao veto presidencial da PLC 087/2011, mas justificou que se trata de uma Lei Federal e que, sendo assim, vai agir dentro da legalidade. Sobre o número de agentes penitenciários, considerado insuficiente pelo sindicato, a Seres informou que o Governo do Estado aumentou em 90% o efetivo, tendo em vista que saltou de 810, em 2011, para 1.564, em 2012. O planejamento da Seres é ampliar o quadro.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

JORNAL DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO

Os presos de Pernambuco e de todo o Brasil terão seus direitos limitados nesta quarta-feira (30). Os agentes penitenciários estão em greve por um dia e o motivo da paralisação é o veto da presidente Dilma Rousseff ao Projeto de Lei Complementar (PLC 087/2011) que permitiria os agentes a portarem armas de fogo fora do horário de serviço.

Segundo o presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores no Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp-PE), Nivaldo de Oliveira Júnior, a decisão da presidente está equivocada. “Nós temos o papel não só de ressocialização, mas também de policiamento. O bandido não faz diferença entre os agentes e os policiais e temos que nos defender quando estamos fora do horário de serviço”, disse.

Apesar dos agentes de Pernambuco terem autorização de portar armas fora das penitenciárias, a paralisação é nacional em “solidariedade aos agentes dos Estados que não permitem o uso”. Ainda de acordo com Júnior, 87% dos agentes morrem no horário de folga. Número que, na verdade, chega a condizer com o fato dos presos não possuírem o direito de usar armas dentro das penitenciárias.

NOTÍCIAS DO JORNAL DO COMÉRCIO DIA 30 DE JANEIRO DE 2013

Penitenciárias
Agentes penitenciários de Pernambuco aderem à paralisação nacional
A greve foi deflagrada para contestar contra o veto da presidente Dilma Rousseff ao Projeto de Lei que permitiria os agentes a portarem armas de fogo fora do horário de serviço

Publicado em 30/01/2013, às 09h18
Do JC Online

Os presos de Pernambuco e de todo o Brasil terão seus direitos limitados nesta quarta-feira (30). Desde a Oh os agentes penitenciários estão em greve por um dia e o motivo da paralisação é o veto da presidente Dilma Rousseff ao Projeto de Lei Complementar (PLC 087/2011) que permitiria os agentes a portarem armas de fogo fora do horário de serviço.

Segundo o presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores no Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp-PE), Nivaldo de Oliveira Júnior, a decisão da presidente está equivocada. "Nós temos o papel não só de ressocialização, mas também de policiamento. O bandido não faz diferença entre os agentes e os policiais e temos que nos defender quando estamos fora do horário de serviço", disse. 

Apesar dos agentes de Pernambuco terem autorização de portar armas fora das penitenciárias, a paralisação é nacional em "soliedariedade aos agentes dos estados que não permitem o uso". Ainda de acordo com Júnior, 87% dos agentes morrem no horário de folga. Número que, na verdade, chega a condizer com o fato dos presos não possuírem o direito de usar armas dentro das penitenciárias.

Durantes estas 24 horas, permanecerá funcionando nas prisões o socorro aos pacientes, a alimentação e o cumprimento dos mandados de prisão e alvará de soltura. Visitas íntimas, atendimento dos reeducandos e apresentações judiciais serão suspensas. "Os policiais militares predem enquando os civis autuam. Ambos passam apenas um ou dois dias com os presos enquanto nós passamos anos com eles", disse Júnior. Para ele, este motivo levaria ao aumento da violência contra os agentes fora das prisões.

O perigo da intensificação de acidentes se for dada a autorização aos agentes de portarem armas fora das penitenciárias não é justificativa para o presidente do sindicato." Também podem ocorrer acidentes com viaturas no trânsito", comparou. "O problema é a arma nas mãos dos bandidos, não nas dos agentes", finalizou.

NOTÍCIAS DA GLOBO NORDESTE:

30/01/2013 15h12 - Atualizado em 30/01/2013 15h12
Paralisação de agentes penitenciários não afeta serviços essenciais em PE
Em Pernambuco, reivindicação principal é por mais contratações.
Movimento nacional pede que agentes sigam portando armas nas folgas.


Nesta quarta-feira (30) os agentes penitenciários de Pernambuco aderiram à paralisação de 24 horas nacional da categoria. Tanto governo do estado quanto o Sindicato dos Agentes Penitenciários de Pernambuco (Sindasp-PE) afirmam que o dia transcorre com tranquilidade nas unidades prisionais. “Eles, de certa forma, estão cumprindo com os serviços essenciais”, afirmou o coronel Clinton Paiva, superintendente de segurança penitenciária da Secretaria de Ressocialização de Pernambuco.
.
O ato nacional ocorre em repúdio contra o veto do Projeto de Lei Complementar (PLC -087/2011) que autoriza agentes penitenciários e outras categorias profissionais a portarem armas de fogo fora do horário de serviço. Em Pernambuco, a categoria também pressiona o Governo do Estado para realizar a etapa final do concurso que vai contratar novos agentes.

A orientação do Sindasp era que continuassem funcionando a emissão de alvarás de soltura, socorro, mandados de prisão, e alimentação. “Apenas no Cotel [Centro de Triagem de Abreu e Lima], por causa de uma particularidade de funcionamento, se permitiu a entrada de visitas, embora de forma precária. As outras atividades estão paralisadas em todas as unidades prisionais”, disse o presidente do Sindasp-PE, Nivaldo de Oliveira Júnior. “A Polícia Militar está fazendo alguns trabalhos. Hoje haveria visita e encontro conjugal em algumas unidades, transferiram para outro dia para que não houvesse prejuízo. A situação está normal”, detalhou o coronel Clinton Paiva. Segundo ele, também foram convocados agentes da sede e distribuídos entre as unidades – o coronel não soube precisar a quantidade.

Dos pontos da pauta de reivindicação, apenas um é negociado em nível local. “Estamos aguardando a sensibilidade do governo de Pernambuco para agendar horário e conversar com a gente. Tem mais de 900 concursados esperando a próxima fase do concurso feito no ano passado. Por meio de nota, a Secretaria de Administração do Governo informou que todos os candidatos aprovados dentro das vagas previstas já foram nomeados e não há previsão de datas para novas nomeações, embora elas possam ocorrer dentro do prazo de validade do concurso. Antes da nomeação, os candidatos precisam passar por um curso de formação, mas também não há previsão de novas turmas.

"Sem efetivo não se faz segurança e aqui é o agente penitenciário quem está ‘na gaiola’. Isso favorece o descontrole e a entrada de drogas”, comentou Nivaldo de Oliveira Júnior. Segundo ele, o ideal era manter uma proporção de um agente penitenciário para cada cinco presos e Pernambuco tem 26 mil presos e menos de 1.600 agentes – resultando em menos de 16 agentes por preso. “Apesar do baixo efetivo, não houve tumulto. No Cotel tem sete agentes no plantão para cuidar de 2.085 presos. Eles permanecem lá, mas não estão fazendo nenhuma atividade, ficam só para alguma eventualidade. Eu precisar de 100 pessoas para fazer um trabalho bem feito. Vai ter uma tragédia a qualquer momento”, explica.

Fonte: http://g1.globo.com/pernambuco

SECRETARIO DA SERES CONTOU INVERDADE SOBRE QUANTIDADE DE FORAGIDOS

Pelo menos 66 detentos fugiram do Presídio Frei Damião Postado em: 29 de Janeiro de 2013 por: Wagner Oliveira


Depois de ter anunciado que apenas 20 homens teriam fugido do Presídio Frei Damião de Bozzano, no Complexo do Curado, no último sábado, a Secretaria de Ressocialização do estado (Seres) elebarou uma lista com o nome de 66 presos que conseguiram escapar da unidade prisional e que o blog teve acesso. A relação foi encaminhada para a Secretaria de Defesa Social (SDS), que está trabalhando junto com a Seres na recaptura.

Desde a manhã do último sábado, fontes do blog informaram que a quantidade de fugitivos era bem maior do que o divulgado. Procurada na tarde desta terça-feira, a assessoria da Seres afirmou agora que a quantidade de fugitivos para a secretaria foi de 21 homens e que até o momento 17 deles foram recapturados. Apesar do blog ter conseguido além da relação a ficha de cada um dos homens que fugiram inclusive com o timbre da secretaria, a Seres insiste em dizer que não tem ainda uma relação completa dos fugitivos. Fontes do blog apontam que ainda estariam faltando alguns nomes na relação.

Veja a relação dos presos que conseguiram fugir:
  1. ADMILSON SEVERINO DOMINGOS
  2. ADRIANO DE SOUZA OU JULIO GOMES ALVES
  3. ADRIANO MARIANO DA SILVA
  4. ALEX DE OLIVEIRA SILVA
  5. ALEXANDRE ELIAS DA SILVA
  6. ALEXANDRE GUILHERME DE SOUZA
  7. ALEXSANDRO DA SILVA SENA OU ALEXANDRE
  8. ALEXSANDRO LUIZ DA SILVA
  9. ANDERSON CLEITON SILVA DE BRITO
  10. ANTONIO PEREIRA GUILHERME DE LIMA
  11. AUSCIO ROBERTO SOUZA LIEUTHIER
  12. CARLOS ANDRE DOS SANTOS
  13. CARLOS ANTONIO DA SILVA
  14. DANIEL DE SOUZA VELOSO
  15. DAVID RICARDO DE OLIVEIRA SOARES
  16. EDNALDO JOSE DA SILVA
  17. EDVALDO JOSE DE SANTANA JUNIOR
  18. EDVAN VIEIRA DE MELO
  19. EGNALDO JOSE DA SILVA
  20. EMERSON DE PAULA CARVALHO
  21. EMIZAEL LIMA DA SILVA
  22. FABIANO JOSE DA SILVA
  23. FABIO FRANCISCO DE OLIVEIRA
  24. FAGNER SEVERINO DE OLIVEIRA
  25. FERNANDO PEREIRA DA SILVA
  26. FERNANDO SEMEAO DA SILVA
  27. FRANCISCO SALES FERNANDES
  28. GILLIARDE HENRIQUE DA SILVA
  29. HELIZAFAN DA SILVA MENEZES
  30. INALDO VIDAL DA SILVA FILHO
  31. ITALO CAIQUE JOSE DA SILVA
  32. IVSON GOMES DA SILVA
  33. JACKSON PEREIRA DA SILVA
  34. JAILSON DA SILVA MENDES GONÇALVES
  35. JAMESSON CARLOS DA SILVA SOUZA
  36. JEFFERSON SANTANA DE OLIVEIRA
  37. JHOLENO SOARES DA SILVA
  38. JOAO JOSE DA SILVA
  39. JOEL ANTONIO DO NASCIMENTO OU JOEL ANTONIO DO NASCIMENTO FILHO
  40. JOSE CARLOS BARBOSA
  41. JOSE CARLOS VENICIO DE LIMA
  42. JOSE DIMAS DE SOUZA PINTO
  43. JOSE GEMERSON DA HORA
  44. LEANDRO JOSE DA SILVA
  45. LEOMAR ANTONIO BEZERRA DOS SANTOS
  46. LEONARDO FERREIRA BRISA
  47. LEONARDO GOMES DE LIMA
  48. LUCAS JOSE OLIVEIRA DE ANDRADE
  49. LUIZ CARLOS FELIX DO NASCIMENTO
  50. LUIZ EDUARDO DOS SANTOS
  51. MANOEL RENATO ALMEIDA DE LIMA
  52. MAURO BELMIRO DA SILVA (VELOSO)
  53. NELSON PINHEIRO DE ALMEIDA
  54. OZIRIS SANTOS DA SILVA
  55. PAULO HENRIQUE CARVALHO DE SOUZA
  56. RAFAEL AUGUSTO DE SOUZA
  57. RAMON LUAN AZEVEDO GOMES
  58. REGINALDO ALEXANDRE FLORIANO DA SILVA JUNIOR
  59. REGIVALDO OLIVEIRA DA SILVA OU JOSE REGIVALDO OLIVEIRA DA SILVA
  60. ROBERTO JACINTO DOS PRAZERES JUNIOR
  61. SEBASTIAO PEREIRA DE SOUZA JUNIOR
  62. THIAGO HENRIQUE DA COSTA SILVA
  63. TIAGO JOSE DA SILVA OU TIAGO JOSE DOS SANTOS
  64. VERONILSON FRANCISCO DA SILVA
  65. WELLINGTON GONÇALVES DA SILVA OU WALDINES DA SILVA
  66. ZENILDO FRANCISCO DOS ANJOS FILHO
Veja também as fichas dos presos que fugiram do presídio:
ACABA DE SER PUBLICADO NO DIÁRIO DE PERNAMBUCO

JORNAL EXTRA: Sindicato denuncia assédio moral contra agentes penitenciários de PE

30/01/2013 às 11:00 

Da redação do jornalextra.com.br
A Secretaria Executiva de Ressocialização estaria coagindo, por assédio moral, os Agentes Penitenciários recém-nomeados (em estágio probatório) e os diaristas (que recebem gratificação) ameaçando-os de punição caso eles não furem a greve que está marcada para hoje (30) em todos os Estados da federação brasileira. A denúncia é do Sindicato dos Agentes e Servidores no Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco.

Segundo eles, a SERES orienta a Polícia Militar a fazer o serviço dos agentes diminuindo o efetivo policial nas ruas e fragilizando a defesa da sociedade aumentando, consequentemente, a criminalidade. A PM, além de ser coagida a usurpar a função do agente penitenciário, diminui a segurança nas ruas deixando a população indefesa.

Para os sindicalistas, todos têm direito à greve, de acordo com decisão do STF:
“Por 3 votos a 2, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) manteve o cargo de servidor público que, durante o estágio probatório, aderiu a movimento de greve e faltou ao trabalho por mais de 30 dias. A greve ocorreu no estado do Rio Grande do Sul, antes de o STF determinar a aplicação da Lei de Greve do setor privado ao serviço público.
A tese vencedora foi a de que a falta por motivo de greve não pode gerar demissão. “A inassiduidade decorrente de greve não legitima o ato demissório”, disse o ministro Carlos Ayres Britto. Para ele, a inassiduidade que justifica a demissão “obedece a uma outra inspiração: é o servidor que não gosta de trabalhar”.

A matéria chegou ao STF por meio de um Recurso Extraordinário (RE 226966) de autoria do governo do Rio Grande do Sul, que exonerou o servidor grevista. Este, por sua vez, voltou ao cargo por força de um mandado de segurança concedido pela Justiça estadual gaúcha.

Trata-se de uma decisão proferida após análise de um caso concreto, ou seja, que se aplica somente “àquele” servidor que impetrou o mandado de segurança.
 
OBS: agora é direito o servidor em ESTÁGIO PROBATÓRIO aderir ao movimento grevista. Qualquer ação de forçar ao trabalho é previsto como assédio moral. Solicitamos aqueles que estão sendo ameaçados a trabalhar, comuniquem ao Sindicato. Solicitamos que digam os nomes dos gestores e ingressaremos com ação judicial, onde o sócio assinará a procuração e o sindicato patrocinará o processo conjuntamente com o sócio.

A simples circunstância de o público estar em estágio probatório não é justificativa para demissão com fundamento na sua participação em movimento grevista por período superior a trinta dias. “A ausência de regulamentação do direito de greve não transforma os dias de paralisação em movimento grevista em faltas injustificadas.” (RE 226.966, Rel. p/ o ac. Min. Cármen Lúcia, julgamento em 11-11-08, 1ª Turma, DJE de 21-8-09)”.

NOTÍCIAS DA FOLHA DE PERNAMBUCO:

SEGURANÇA

Cotel é única unidade prisional com visitas nesta quarta-feira

Ao todo, mais de 600 pessoas foram a unidade prisional 


As visitas íntimas, apresentações judiciais e atendimento aos advogados de reeducandos do sistema prisional de Pernambuco foram suspensos nesta quarta-feira (30). Isso porque o os agentes penitenciários do Estado fazem uma paralisação que durará 24 horas. Das 20 unidades prisionais do Estado, apenas o Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, manteve as os serviços normalizados nesta quarta-feira.

Ao todo, mais de 600 pessoas foram ao Cotel para visitar os familiares reclusos. Sete agentes realizavam a segurança do local e outros dois estavam fora, fazendo custódia de detentos.  De acordo com o Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp-PE) a revista dos familiares foi  feita por detentos das unidades, vistoriados por dois gentes. A informação não foi confirmada pelo diretor do Cotel, João Fernandes.

De acordo com Fernandes, quatro presos, que trabalham no presidío, ajudam na parte logística das revistas. "Eles ajudam a pegar as sacolas e colocar na máquina, que é vistoriada por um agente, e depois a retirar. As equipes sempre funcionam com quatro detentos e dois agentes. Até porque nenhum preso iria aceitar que outros detentos fizessem as revistas", explicou Fernandes. 

Nacional – A paralisação dos agentes penitenciários ocorre em todo o País. O motivo da ação é um repúdio ao recente veto da presidente Dilma Rousseff ao Projeto de Lei Complementar (PLC 087/2011) que permitiria agentes penitenciários e outras categorias profissionais a portarem armas de fogo fora do horário de serviço. A justificativa do Governo Federal foi que a autorização do projeto iria na contramão da política nacional de combate à violência.

Outra reivindicação do Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp-PE) é o quantitativo de servidores. De acordo com o presidente do Sindasp-PE, Nivaldo de Oliveira, Pernambuco tem mais de 26 mil detentos e 1,5 mil agentes. A quantidade, de acordo com Oliveira, é considerada pequena, já que representa que existe um agente para 12 presos.

OBS: A imprensa  tem as imagens  da revista sendo feita por presos, pegando sacolas, colocando em máquinas. Isto é ilegal, e usurpação da função do Agente Penitenciário. Estas imagens já estão em poder do sindicato.


NOTÍCIA JORNAL FOLHA DE PERNAMBUCO DO DIA 30 DE JANEIRO:

PARALISAÇÃO
Agentes penitenciários param 24h
Ação é motivada pelo veto ao porte de armas por agentes penitenciário


Arthur Mota

Desde a 0h desta quarta-feira (30), os agentes penitenciários da maior parte dos estados brasileiros, incluindo Pernambuco, iniciaram uma paralisação que durará 24 horas. O motivo da ação é um repúdio ao recente veto da presidente Dilma Rousseff ao Projeto de Lei Complementar (PLC 087/2011) que permitiria agentes penitenciários e outras categorias profissionais a portarem armas de fogo fora do horário de serviço. A justificativa do Governo Federal foi que a autorização do projeto iria na contramão da política nacional de combate à violência.

VISITAS íntimas nas unidades terão de ser transferidas
Para o presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp-PE), Nivaldo de Oliveira, a decisão deixa os profissionais muito expostos. “A defesa pessoal é uma necessidade para aqueles que exercem atividades de risco à própria vida e à sua integridade física”, frisou. De acordo com o sindicalista, não haverá diminuição do efetivo nas unidades prisionais. “Já temos um quantitativo insuficiente, pois somos no Estado 1,2 mil agentes quando precisaríamos ter cerca de cinco mil”, explicou.

Alguns serviços estarão suspensos como as apresentações judiciais, atendimento aos advogados dos reeducandos e as visitas íntimas, que ocorrem em algumas unidades às quartas-feiras e aos sábados. Só deverá permanecer funcionando o socorro aos pacientes, garantida a alimentação dos apenados e o cumprimento dos mandados de prisão e alvará de soltura. 

Segundo o superintendente de Segurança Penitenciária da Secretaria Executiva de Ressocialização, coronel Clinton Paiva, todos os serviços essenciais serão garantidos. “Para manter a segurança externa nós receberemos o suporte da Polícia Militar em todo o Estado”, disse. Quanto às visitas conjugais, elas serão transferidas para amanhã.

Fonte: folhape.com.br




NOTÍCIAS DO SITE LEIA JÁ:

Agentes penitenciários paralisam atividades por 24h

Nesta quarta (30), dia de visita, apenas atividades essenciais serão mantidas com 30% do efetivo

por Elis Martins | ter, 29/01/2013 - 12:39

Os agentes penitenciários prometem fazer uma paralisação nacional nesta quarta-feira (30). O ato é contra o veto presidente Dilma Rousseff ao projeto de lei complementar que permite agentes penitenciários e outras categorias profissionais a portarem armas de fogo fora do horário de serviço. 
De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores no Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp-PE), João Batista Carvalho, a categoria também quer mostrar à sociedade as condições de trabalho da classe. “O Estado fica maquiando a realidade do sistema penitenciário. Na rebelião do sábado (26) tinham sete agentes trabalhando e como ia dar conta de quase quatro mil pessoas por conta da pernoite?” interrogou. Na ocasião, dois agentes foram baleados. O vice-presidente ainda alerta que nesta quarta é dia de visita. “Só vai ter se tirar a PM da rua”, afirmou. 
Ainda segundo o vice-presidente, quatro mil presos deixam de ser apresentados por ano por falta de agentes penitenciários que tem um número insuficiente para conduzi-los à justiça. “Como vai reduzir a população carcerária desse jeito?”, questionou mais uma vez. 
Nesta quarta-feira (30), os agentes penitenciários realizam apenas cumprimento de mandado preventivo de prisão, alvará de soltura, alimentação de preso e socorro médico. Em Pernambuco, 1.500 agentes estão em exercício para 26 mil presos, o que equivale 16 detentos para cada agente, quando a proporção deveria ser de 5 para 1. No dia 20 e 21 de fevereiro, a categoria se reúne em Brasília durante um congresso e pode deliberar greve nacional por tempo indeterminado. 

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

JURISPRUDÊNCIA: STF reconhece direito de greve em estágio probatório no Recurso Extraordinário 226.966/RS



Por 3 votos a 2, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) manteve o cargo de servidor público que, durante o estágio probatório, aderiu a movimento de greve e faltou ao trabalho por mais de 30 dias. A greve ocorreu no estado do Rio Grande do Sul, antes de o STF determinar a aplicação da Lei de Greve do setor privado ao serviço público.

A tese vencedora foi a de que a falta por motivo de greve não pode gerar demissão. “A inassiduidade decorrente de greve não legitima o ato demissório”, disse o ministro Carlos Ayres Britto. Para ele, a inassiduidade que justifica a demissão “obedece a uma outra inspiração: é o servidor que não gosta de trabalhar”.

A matéria chegou ao STF por meio de um Recurso Extraordinário (RE 226966) de autoria do governo do Rio Grande do Sul, que exonerou o servidor grevista. Este, por sua vez, voltou ao cargo por força de um mandado de segurança concedido pela Justiça estadual gaúcha.

Trata-se de uma decisão proferida após análise de um caso concreto, ou seja, que se aplica somente “àquele” servidor que impetrou o mandado de segurança. .

OBS: agora é direito o servidor em ESTÁGIO PROBATÓRIO aderir ao movimento grevista. Qualquer ação de forçar ao trabalho é previsto como assédio moral. Solicitamos aqueles que estão sendo ameaçados a trabalhar, comuniquem ao Sindicato. Solicitamos que digam os nomes dos gestores e ingressaremos com ação judicial, onde o sócio assinará a procuração e o sindicato patrocinará o processo conjuntamente com o sócio.

POSIÇÃO DO STF:

A simples circunstância de o público estar em estágio probatório não é justificativa para demissão com fundamento na sua participação em movimento grevista por período superior a trinta dias. “A ausência de regulamentação do direito de greve não transforma os dias de paralisação em movimento grevista em faltas injustificadas.” (RE 226.966, Rel. p/ o ac. Min. Cármen Lúcia, julgamento em 11-11-08, 1ª Turma, DJE de 21-8-09)

Fonte:
  1. https://www.stf.jus.br/arquivo/djEletronico/DJE_20090820_157.pdf
  2. http://www.legjur.com/jurisprudencia/htm/2009/226966stf_2010_11_11

AVISO AOS AGENTES DIARISTAS...

Os agentes DIARISTAS que forem ameaçados pela SERES deveram dirigir-se ao HEMOPE e fazer ação solidária com doação de sangue. Apresentar dispensa médica à SERES, guardar cópia com o Recebido do Gestor enviar cópia ao Sindicato para as devidas providênciaS em caso de retaliação.

A Diretoria do SINDASP estará circulando pelas Unidades da região metropolitana e em "QAP" para qualquer eventualidade, inclusive para dar suporte ao pessoal do interior.

As Rebeliões estão se espalhando por vários Estados do Brasil

Desde que a presidenta Dilma Rousseff vetou a PLC 87/2011 que expande o porte de arma de fogo fora de serviço a todos os agentes penitenciários do Brasil, os "bandidos" estão mais audaciosos em saber que o agente de vários Estados não podem portar armas fora de serviço  e não mais se arriscará no trabalho.

Diante disso, está acontecendo uma onda de rebeliões aleatórias. No último sábado (26) foi no presídio Aníbal Bruno (atual Complexo do Curado) em Pernambuco, agora é no Roger em João Pessoa/PB.


db77a6461005ce1d08fd786109e9b652.jpg

Publicado em 28.01.2013, às 15h20 
Foto: Reprodução/ TV Cabo Branco 
Vanessa Silva Do NE10/ Paraíba

Pelo menos 17 detentos da Penitenciária Flósculo da Nóbrega, o Presídio do Roger, em João Pessoa, ficaram feridos após um princípio de rebelião registrado na manhã desta segunda-feira (28). De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária da Paraíba (Seap), o tumulto começou durante o banho de sol, por causa de um desentendimento entre presos de facções rivais.

A confusão foi controlada ainda pela manhã, com a entrada do Batalhão de Choque. Apesar da Seap garantir que só foram utilizadas armas não-letais para o controle da situação, o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa confirmou a entrada de pelo menos dois detentos com ferimentos provenientes de arma de fogo. O estado de saúde deles é grave. Além deles, outros nove detentos foram internados na unidade e mais seis, com ferimentos leves, receberam atendimento ainda na casa de detenção.

Às 14h, o balanço da unidade de Trauma era de uma alta e oito presos que permaneciam internados. Após o motim ter sido contornado, a PM realizou uma operação pente fino nos pavilhões 5 e 6. Pelo menos 100 policiais participaram da ação.

FUGA NA MADRUGADA - Segundo a Seap, um detento fugiu do presídio do Roger na madrugada desta segunda-feira (28). Os agentes penitenciários que estavam de serviço no momento do ocorrido estão sendo ouvidos e a Secretaria informou que será instaurada uma sindicância para apurar as circunstâncias da fuga. A Seap, porém, nega que o fato tenha ligação com a rebelião.

Reportagens sobre a fuga de presos no Complexo do Curado (antigo Aníbal Bruno)


Antes ou Após ler as matérias abaixo, veja também a verdade
sobre o que aconteceu clicando neste link abaixo:

NE10 - Sistema Jornal do Comércio

Presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários disse que SDS já sabia que rebelião ia acontecer

Publicado em 26.01.2013, às 14h29

baa6c4be596ca56fabf9628f1733d058.jpg
Segundo Oliveira, as armas já estavam dentro da unidade desde quinta-feira (24)
Foto: Adriana Oliveira/Especial para o NE10

Com informações de Adriana Oliveira

Especial para o NE10
O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Pernambuco (Sindasp-PE), Nivaldo de Oliveira Júnior, afirmou que a Secretaria de Defesa Social já sabia que os detentos do Complexo do Curado, antigo Presídio Aníbal Bruno, pretendiam fazer uma rebelião.


Folha de Pernambuco

Sindicato denuncia que 63 detentos fugiram

29/01/2013 02:05 - CAMILA LINDOSO


Pelo menos 63 detentos podem ter fugido da Unidade Prisional Frei Damião de Bozzano, do Complexo Penitenciário do Curado, no bairro do Sancho, Zona Oeste do Recife, no último sábado. É o que denuncia os agentes do complexo prisional e também o presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp-PE), Nivaldo de Oliveira. Até o fechamento desta edição, 18 detentos tinham sido recapturados pela PM. A fuga, que ocorreu durante o horário de visitas da unidade, acabou deixando cinco detentos e dois agentes penitenciários feridos. Na manhã de ontem, o presidiário Ítalo Caíque José da Silva, foragido do Presídio Frei Damião de Bozzano, se apresentou à 3ª Equipe de Repressão aos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) do Cabo.

A Secretaria de Defesa Social enviou nota que, junto com a Secretaria de Ressocialização (Seres) continua trabalhando intensamente, utilizando o efetivo e os meios técnicos e materiais necessários para capturar os fugitivos do Complexo Prisional Aníbal Bruno que ainda se encontram foragidos. A nota esclarece ainda que a Seres e a Corregedoria da SDS iniciou um recadastramento de todos os apenados, inclusive com identificação biométrica, para, no prazo de 72 horas, determinar o quantitativo real de presos foragidos e apurar as possíveis irregularidades no controle das unidades do complexo.


DIG Now - Diário de BLOGs

Aníbal Bruno: o número insuficiência de Agentes Penitenciários teria contribuído para ação

A insuficiência de Agentes Penitenciários seria uma das principais causas para a fragilidade do sistema penitenciário de Pernambuco e teria contribuído para a fuga ocorrida anteontem. É o que defende o presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp-PE), Nivaldo de Oliveira. “É inviável que você tome conta de uma cadeia, com mais de mil detentos, com cinco ou sete Agentes como foi o caso do último sábado. No Estado temos 1,2 mi [...]

G1 - Globo.com

Fuga de presos provoca tumulto em unidade do Complexo Aníbal Bruno

Confusão aconteceu na madrugada deste sábado (26).

Secretário informou que dois agentes e cinco presos ficaram feridos.

A unidade Frei Damião de Bozzano, do Complexo Prisional Professor Aníbal Bruno, no bairro do Sancho, Zona Oeste do Recife, passou por um tumulto na manhã deste sábado (26). Segundo informações da Polícia Militar, houve confusão com a fuga de presidiários. Ainda de acordo com a PM, 21 presos conseguiram fugir, mas 16 já foram recapturados. O secretário de Ressocialização, coronel Romero Ribeiro, informou que cinco presos ficaram feridos e dois agentes penitenciários foram baleados durante o tumulto.
Preso é recapturado por policiais militares (Foto: Chico Peixoto/Leiajáimagens/EstadãoConteúdo)Preso é recapturado por policiais militares (Foto: Chico Peixoto/Leiajáimagens/EstadãoConteúdo)
“Todos foram para o [Hospital] Otávio de Freitas. Os presos aproveitaram a visita conjugal para fugir, e os agentes penitenciários, por determinação de segurança, não reagiram para evitar que não acontecesse nada com os familiares [dos detentos], preservar vidas e evitar qualquer tipo de confronto”, contou o secretário. Ainda de acordo com o secretário, os presos teriam aproveitado que havia muita gente dentro da unidade para fazer um agente refém, pegando a arma dele. Os detentos também fizeram alguns parentes reféns e assim conseguiram sair pela porta da frente.
Presos iniciaram tumulto na unidade Frei Damião (Foto: Kety Marinho/Globo Nordeste)
Presos iniciaram tumulto na unidade Frei Damião
(Foto: Kety Marinho/Globo Nordeste)
Coronel Ribeiro disse ainda que está mantendo contato com a Secretaria de Saúde para assegurar a proteção dos presos feridos, que estão sob custódia no Hospital Otávio de Freitas. “É para conter qualquer tipo de problema com a vida deles, com proteção de agentes penitenciários e policiais militares", comentou.
A PM informou que o tumulto foi controlado ainda na manhã deste sábado. Ribeiro também afirmou que a segurança na área foi reforçada e que uma revista interna está sendo feita pela Companhia Independente de Operações Especiais (Cioe), pelo Batalhão de Choque, guardas e agentes penitenciários. “A Seres vai reforçar toda a segurança interna com mais agentes e PMs nas guaritas, na parte externa”, completou.
O Presídio Frei Damião de Bozzano concentra 1.400 presos, mais que três vezes acima da capacidade do local. Esta unidade, de acordo com o secretário, é a que reúne os presos que têm mais processos, ou seja, os mais perigosos

Diario de Pernambuco
Tumulto e fuga de detentos no Aníbal Bruno

Publicação: 26/01/2013 10:15 Atualização: 26/01/2013 17:23

Movimentação de ambulâncias começou por volta das 11h para retirada dos feridos no tumulto.  (Annaclarice Almeida/DP/D.A Press)
Movimentação de ambulâncias começou por volta das 11h para retirada dos feridos no tumulto.
O Presídio Frei Damião de Bozzano, que faz parte do Complexo Prisional Professor Aníbal Bruno, no bairro do Sancho, no Recife, passou por um tumulto na manhã deste sábado (26), dia de visita íntima, que se estenderia até o domingo (27). Segundo as primeiras informações divulgadas pela Polícia Militar, ao menos dez detentos teriam fugido do local. No entanto, informações extraoficiais dão conta de que 40 pessoas escaparam e que ao menos 12 já foram recapturados.

Por volta das 11h30, a polícia localizou dois presos que estavam escondidos numa casa em frente ao presídio. Outros detentos foram encontrados em ônibus que circulam pelas proximidades. Além dos familiares, vários curiosos estão na frente do presídio.


Policiais fazem buscas pela vizinhança do complexo prisional. (Annaclarice Almeida/DP/D.A Press)
Policiais fazem buscas pela vizinhança do complexo prisional.
A movimentação de ambulâncias no complexo começou por volta das 11h. Os feridos estão sendo socorridos para o Hospital Otávio de Freitas. Pelo menos 15 viaturas da polícia cercaram a estação de metrô de Tejipió em busca dos fugitivos. O Corpo de Bombeiros também está no local.


De acordo com informações da Polícia Militar, a PM foi acionada por volta das 9h30 e conseguiu recapturar cinco detentos. No entanto, familiares afirmam que pelo menos 40 presos deixaram o local pela porta da frente efetuando disparos, o que levou a uma troca de tiros com a polícia.


Movimentação da polícia, familiares e vizinhos do presídio por conta do tumulto é grande. Foto:  (Annaclarice Almeida/DP/D.A Press)
Movimentação da polícia, familiares e vizinhos do presídio por conta do tumulto é grande. Foto:
Segundo familiares, o tumulto começou quando as mulheres passavam pela revista para a entrada da visita íntima. Segundo a PM, as guarnições especializadas como o 12º Batalhão, Rádio Patrulha e Companhia Independente de Policiamento com Motocicletas (CIPMotos/Rocam) estão realizando buscas na área para localizar os fugitivos.

Tumulto acontece no Presídio Frei Damião de Bozzano, que faz parte do Complexo Prisional Professor Aníbal Bruno. (Juliana Cavalcanti/DP/D.A Press)
Tumulto acontece no Presídio Frei Damião de Bozzano, que faz parte do Complexo Prisional Professor Aníbal Bruno.
Vários detentos seguiram em direção à comunidade do Jardim Planalto. Moradores da área informaram que os presos foram vistos em fuga pelos telhados das casas.


O Batalhão de Choque entrou no presídio por volta das 10h30 para a realização de varredura. Um helicóptero da Secretaria de Defesa Social auxilia nas buscas.


Helicóptero da Secretaria de Defesa Social auxilia nas buscas. Foto: Juliana Cavalcanti/DP/D.A Press
Helicóptero da Secretaria de Defesa Social auxilia nas buscas. Foto: Juliana Cavalcanti/DP/D.A Press
Ainda segundo familiares, há vários mortos, inclusive um agente penitenciário. A Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) confirma o tumulto, mas ainda não tem um balanço sobre quantidade de presos que fugiram ou de feridos.

Rádio Jornal
O clima foi tenso na manhã deste domingo (27) em frente à unidade Frei Damião de Bozano, do Complexo Penitenciário Professor Aníbal Bruno, um dia após a fuga em massa de 20 detentos último sábado (26). O domingo é o dia tradicional de visita aos presos, mas devido à fuga, apenas mulheres puderam entrar na unidade para visitar os familiares.
Do lado de fora, parentes do sexo masculino relataram discussões com policiais que controlam a entrada no presídio, inclusive com agressões e quase prisões.
A Secretaria de Ressocialização afirma que dos 20 fugitivos, 16 foram capturados ainda no sábado. Durante a fuga, 2 agentes e 5 detentos ficaram feridos. O estado de saúde de todos é estável. A repórter Alana Lima, da Rádio Jornal, traz mais detalhes sobre a situação no local.
Foto: Débora Pereira/Rádio Jornal e CBN Recife
Uma manhã de muita confusão e medo no Complexo Prisional Aníbal Bruno, no bairro do Sancho, na Zona Oeste do Recife. Um início de rebelião ocasionada pela fuga de 20 detentos provocou alvoroço e troca de tiros no maior presídio do estado neste sábado (26). De acordo com a Polícia Militar, a situação se normalizou no início da tarde, com um resultado  de quatro feridos, sendo três detentos e um agente penitenciário.
A repórter da Rádio Jornal, Débora Pereira, esteve no complexo prisional durante a manhã. A confusão dentro do presídio começou por volta das 9 da manhã. O agente penitenciário Décio Vaz fala sobre os acontecimentos da tentativa de fuga. Ele resume o tumulto, como você pode conferir no áudio abaixo.

Jornal do Comércio

Fuga de detentos do Aníbal Bruno provoca tumulto em uma das unidades do complexo

Ação dos presos teria ocorrido durante a entrada de mulheres para visita íntima na manhã deste sábado. Publicado em 26/01/2013, às 10h34

Do JC Online

Com informações da Rádio Jornal e do NE10

 / Foto: Adriana Oliveira/ NE10

Foto: Adriana Oliveira/ NE10

Atualizada às 13h10
Começou violenta a manhã deste sábado (26) na capital pernambucana. Uma fuga em massa foi registrada no Presídio Frei Damião de Bozzano, que faz parte do Complexo do Curado, antigo Aníbal Bruno, no bairro do Sancho, Zona Oeste do Recife. A confusão teria começado por volta das 9h, depois que cerca de trinta presos fugiram da unidade durante a entrada de mulheres para a visita íntima.
Segundo a Secretaria de Ressocialização, dois agentes penitenciários e três presos ficaram feridos no tumulto e foram socorridos para o Hospital Otávio de Freitas. Um dos agentes penitenciários levou um tiro no tórax e passou por cirurgia.
Segundo a Polícia Militar, a situação já foi controlada dentro do presídio. O Batalhão de Choque entrou por volta das 10h30 na unidade e uma contagem dos presos está sendo realizada para apurar o número exato de fugitivos. Policiais do 12º Batalhão, da Rádio Patrulha e da Companhia Independente de Policiamento com Motocicletas (CIPMotos/Rocam), continuam as buscas na área para tentar localizar o restante dos presos foragidos.
Apesar da normalização da situação no prédio do presídio, o clima é tenso no entorno da unidade. Vários presos fugiram em ônibus que passavam pelo bairro e outros estão se escondendo nas casas vizinhas ao complexo prisional e trocam tiros com a polícia, causando pânico na população. Familiares dos presos aguardam ansiosos notícias do lado de fora da instituição e reclamam de excessos por parte da polícia e da falta de informação da administração da unidade.