sábado, 21 de fevereiro de 2009

BOTANDO PRESSÃO



BOTANDO PRESSÃO
AGENTES PENITENCIÁRIOS MOSTRAM GARRA E FAZEM LIMPEZA GERAL NO PRESÍDIO DE CANHOTINHO

Os agentes penitenciários dos pavilhões do Centro de Ressocialização do Agreste (Presídio de Canhotinho), fizeram uma operação pente fino na tarde de hoje. Eles encontraram 113 pedras de crack que estavam em poder do detento Claudemir José da Silva, 221 papelotes de maconha, uma máscara, 700 gramas de maconha prensada, um aparelho celular da marca samsung, três carregadores de celular, duas maricas para consumo de crack e R$ 400,00 em dinheiro.
postado em 19/02/09

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Agente Penitenciário: edital sai em breve

FOLHA DE PERNAMBUCO 18/01/2009

Agente Penitenciário: edital sai em breve

Último concurso para o cargo foi realizado há dez anos. Candidatos podem se preparar com base no conteúdo programático do certame do Depen

PRISCILA DOS SANTOS

O concurso para Agente Penitenciário em Pernambuco, a ser realizado pela Secretaria Executiva de Ressocialização, está a um passo para sair. Após ser autorizado pela Secretaria de Administração, o próximo passo é o aval do Conselho Superior de Política de Pessoal, que irá analisar a repercussão do certame na folha de pagamento. Ao sair essa confirmação, o edital poderá ser liberado.

De acordo com o superitendente de Segurança Penitenciária, coronel Isaque Viana, o certame irá oferecer mil vagas para o cargo de Agente Penitenciário. “Os aprovados não serão chamados todos de uma única vez, haverá a divisão em duas turmas. Assim 500 serão chamados de imediato, sendo mais 500 convocados posteriormente”. Ainda segundo Viana, não há definição a respeito do conteúdo programático.

Como o último concurso para a função foi realizado há dez anos, em 1998, não há como estabelecer um parâmetro. Porém, o candidato pode se basear pelo programa do concurso do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), que está em andamento, com provas marcadas para 15 de fevereiro. Dessa forma, o concurseiro pode acompanhar um debate atual sobre as disciplinas a serem abordadas nos exames. E ainda o edital do Depen traz as referências bibliográficas, que podem ser de grande valia para quem deseja reforçar seus estudos.

Essa é a orientação do coordenador pedagógico do Núcleo de Concursos Especial (Nuce), Antônio Guima-rães. “Acredito que o conteúdo programático não mudará em praticamente nada. O candidato deve estudar as matérias de Direito Penal, Direito Processual Penal, Direitos Humanos - como conhecimentos específicos. Há também as disciplinas básicas, como Português e Raciocínio Lógico. No certame da Depen, foram exigidos também Direito Constitucional e Direito Administrativo. “O concurseiro não pode esquecer de estudar a Lei de Execução Penal, conhecida como LEP, que é de âmbito nacional”, aconselha Guimarães.

Anote
Para acessar o conteúdo programático do Depen entre no site da organizadora (www.funrio.org.br) e clique nas opções Ministério da Justiça - Quadro de pessoal - Especialista em Assistência Penitenciária e Técnico de Apoio à Assistência Penitenciária e Ministério da Justiça - Quadro de pessoal - Agente Penitenciário Federal.

Folha dos Concursos
http://www.folhape.com.br/folhape/materia.asp?data_edicao=18/01/2009&mat=128888

ADVERTÊNCIA À CATEGORIA

Atenção!

Novamente, estamos nos deparando com a possibilidade de distúrbios precipitados no nosso meio.

Esclareço: ocorre que nos chegaram rumores de mobilizações para ações grevistas no próximo mês de abril. Os informes repassados e usados para justificar a ação ventilam a possibilidade do Governo estar manipulando a categoria, usando de artifícios para ganhar tempo e de subterfúgios para não cumprir os acordos firmados com os servidores, inviabilizando qualquer reação que possamos esboçar posterioriormente, com a entrada de novos agentes concursados. É bom lembrar que não estamos respaldados somente nas palavras dos secretários, existe a LEI COMPLEMENTAR Nº 131, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2008 (Acesse: http://asppernambuco.blogspot.com/2008/12/sancionada-lei-da-criao-dos-cargos-e.html) que estabelece um prazo, que se só esgotará no mês de maio.

CONSIDERAÇÕES:

1º - Engana-se quem acha que nós da ASPEPE não ponderamos todas as possibilidades diante da conjuntura atual; estamos conscientes destas possibilidades e de outras; não somos crianças. E mais, não podemos colocar tudo o que sabemos abertamente, para isso convocamos assembleias, onde podemos repassar, sem problemas, determinadas informações. Acordem! Lembrem-se, somos profissionais de Segurança Pública.

2º - Não estamos aqui “fazendo de conta” ou “brincando de sindicato”. A postura precipitada de alguns companheiros demonstra falta de conhecimento e equilíbrio, sem falar no risco de atrapalharem e tumultuarem estamos aqui fazendo de conta ou brincando de sindicato, nual; estamos conscientes destas possibilidades e de outras, n um processo de negociação que já não é nada fácil para a categoria. Nós da ASPEPE estamos avançando com muitas dificuldades, é verdade; mas, estamos avançando onde outros falharam. Com toda a adversidade que estamos encontrando não abandonamos o barco como fazem os ratos. Estamos firmes, prontos a encarar uma nova Gestão.

3º - A quem interessa tumultuar o processo de discussão da ASPEPE com o Governo? Pensemos juntos. Se o prazo estabelecido na lei para a implantação do PCCV SE ESGOTA EM MAIO, porque fazer greve em abril? Fazer uma mobilização desta natureza em abril (desculpem a sinceridade) é assinar o nosso atestado de INCOMPETÊNCIA, BURRICE E IMBECILIDADE, estaremos literalmente “atirando no pé”.

4º - Precisamos aprender a agir com a razão, antes da emoção. A ASPEPE não descartou em nenhum momento a disposição de ir para o embate; entretanto, esta será a última instância. Faremos uso dela, caso não haja outra alternativa. Temos, pelo menos, até o mês de maio para aguardar as decisões e ações do Governo. Só então a categoria como um todo, repito a categoria como um todo, decidirá o que fazer, não “A” ou “B” isoladamente.

5º - A disposição de mobilização isolada de alguns colegas nos preocupam por alguns motivos:
a)
pela falta de conhecimento da conjuntura atual, ou seja, como está se dando o processo de negociação da ASPEPE / SINDSERPE / GOVERNO, demais sindicatos e servidores;
b)
pela não compreensão de que, por mais que queiramos, não podemos nos divorciar dos demais servidores; afinal, o cofre que nos paga é o mesmo; temos que interagir com eles para garantir o nosso espaço, ou seja, estar presente na hora de repartir o bolo; ou já esquecemos dos 3,8% que sobrou para nós em 2007, e de como a participação da ASPEPE em parceria com a CUT / SINDSERPE conseguiu trazer o mesmo percentual da polícia civil em 2008?
c)
pela falta de envolvimento e interação com os demais agentes e a falta participação nas assembleias convocadas pela ASPEPE; vale lembrar que a omissão da categoria permitiu que alguns nos trouxessem a esta situação periclitante; a ASPEPE não deseja “carreira solo”, mas a participação de todos.

6º - O movimento sindical não consiste apenas em greve, existem outras ações participativas tão ou mais importantes que este recurso de lutas do trabalhador. As discussões maduras, a participação nas mobilizações do grupo, a criação de estratégias de trabalho, a conscientização dos demais companheiros. O incentivo e participação junto àqueles que estão na linha de frente do sindicato / associação são valores imprescindíveis ao movimento sindical, à luta contra a tirania do patrão. Precisamos deixar de ser singulares e nos tornar plural, deixar a visão individualista e partir para o foco mais amplo do conjunto. Só então poderemos avançar efetivamente na busca de melhorias.

7º - Existe uma máxima corrente no meio sindical que diz o seguinte: “a categoria que melhor se articular (organizar) internamente terá mais poder de barganha com o patrão”, em outras palavras, ou nós nos unimos ou o rolo compressor do Governo vai nos esmagar, novamente. O momento é de união e ação. Para isso é necessário que todos participem do processo, meia dúzia de diretores sozinhos não vai abalar o Governo a fazer nada.

PALAVRA FINAL

Não obstante a queda do muro de Berlim, o fracasso do socialismo, não vislumbro, ao menos por enquanto, outra teoria social mais próxima da realidade que a de Karl Marx. Me revolta ver tão escancaradamente a massa (nós) ser manipulada e explorada, ora por um pequeno grupo em prol de seus interesses pessoais, ora dominada pela sua própria indolência e conformismo. Saint-Exupéry na sua obra “O Pequeno Príncipe” traz-nos uma reflexão digna de ser lembrada: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”. Hoje estamos colhendo o que plantamos anos atrás e está provado que cultivamos em muitas situações frutos ruins, estamos pagando um alto preço por isso. Contudo, há uma outra preocupação que me atormenta diuturnamente: o que plantaremos hoje, para colhermos amanhã; serão “as velhas e malfadadas práticas ou o equilíbrio da maturidade com a ação em tempo oportuno”.

São Paulo na Epístola aos Gálatas capítulo 6, versículo 7, nos adverte: “Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará”.

Creiam ou não, nosso compromisso transcende a esfera profissional. É antes de Tudo com Deus e nossa consciência, com nossos colegas e suas famílias, pois sabemos o peso da nossa profissão, seus riscos e agruras. Estamos aqui para defender as pessoas que labutam no Sistema Penitenciário, com a responsabilidade de fazermos o melhor com o pouco, ou quase nada que temos. Não é segredo que estamos trabalhando a mais de um ano sem nenhum recurso humano ou financeiro, exceto as contribuições esporádicas de alguns companheiros que comparecem quando a ocasião exige. Não temos nada a ganhar com o prejuízo de nossa categoria. Nossa Diretoria não é a ASPEPE, a ASPEPE somos nós, ASPs / AFSPs. Isto precisa estar claro de uma vez por todas. Estamos aqui para defender os nossos direitos, não sermos manipulados pelo Governo ou qualquer outro. Uma coisa é certa se o Governo cumprir sua parte nós cumpriremos a nossa, seremos parceiros para o bem estar da categoria, se não cumprir seus compromissos, ai sim, iremos para o confronto.

Nivaldo de Oliveira Júnior
Presidente da ASPEPE

Negociação salarial com os servidores

» FUNCIONALISMO
Estado inicia negociação salarial com os servidores
Jornal do Comércio - Publicado em 07.02.2009

De olho em um exercício orçamentário que começa sob a ameaça de impacto da crise econômica mundial, o governo do Estado teve ontem a primeira rodada de 2009 de negociação salarial com o funcionalismo. Por ora, os servidores querem garantir a aplicação das promessas feitas no ano passado, como a implantação dos planos de cargos e carreiras. Além disso, o desafio é conseguir montar outros três novos planos (área civil da Polícia Militar, agentes penitenciários e para funcionários da AD Diper).

O secretário de Administração, Paulo Câmara, diz que o comportamento da economia no primeiro trimestre será fundamental para definir o andamento das negociações. “Ainda não sabemos como será o reflexo da crise. Só sei que até dezembro não houve impacto”, diz o gestor. Quase 20 secretarias e órgãos da administração indireta tiveram seus planos de cargos definidos na negociação passada. Como a data-base é junho, o percentual pleiteado ainda é uma incógnita para ambas as partes. “Devemos pedir, ao menos, o Índice de Custo de Vida (ICV) do Dieese. Além disso, tirar mais servidores da faixa salarial que fica abaixo do mínimo é outro ponto”, diz o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Estado de Pernambuco (Sindserp), Renilson Oliveira. Esse, aliás, outro desafio do ente público. É que com o aumento do salário mínimo de R$ 415 para R$ 465 o contingente que passa a precisar de abono salarial para completar a remuneração salta de 1.900 para 3.500. Ele ressalta também a necessidade de resolver o problema de deslocamento dos servidores no interior do Estado que não contam com transporte oficial e precisam pagar do próprio bolso. O próximo encontro será no dia 5 de março.

http://jc.uol.com.br/jornal/2009/02/07/not_318623.php

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

MATÉRIA DA ASS. DOS OFICIAIS MILITARES ESTADUAIS DO BRASIL - Maio de 2008

CARO COLEGA, NIVALDO,
GOSTARIA QUE VC COLOCASSE NO BLOG DA NOSSA ASSOCIAÇÃO!!!
PARA QUE POSSAMOS VER A VERDADEIRA CARA DA POLICIA MILITAR E SEUS OFICIAIS QUE NÃO QUEREM LARGAR O "OSSO" DO SISTEMA PENITENCIÁRIO E QUE DIZEM QUE SÓ "ESTÃO A ARRUMANDO A CASA" PRA NÓS...
ABRAÇOS CORDIAIS,

Adielton Souza de Freitas

A matéria é de maio de 2008, mas é interessante ler.

Senhores Comandantes, o Excelentissimo Presidente do CNCG, Coronel Diniz, estará em Brasilia na semana de 03 de junho e solicita a presença de Vossa Excelência ou de seu representante para juntos atuarem no Congresso Nacional, tendo em vista a situação abaixo e constante da documentação anexa de interesse das Policias Militares e dos Corpos de Bombeiros Militares.

Senhor Comandante,

Por determinação do Senhor Presidente do Conselho Nacional de Comandantes Gerais, solicito as dignas providências de que Vossa Excelência determine a presença de um assessor parlamentar em Brasília, na Câmara dos Deputados no dia 3 de junho às 10:00hs da manhã para reunião do CNCG e Associações Representativas.

Também solicito a divulgação para as entidades de oficiais e praças para que enviem representantes.

Esta mobilização é em caráter de urgência devido aos seguintes fatos:


1. Requerimento nº 2.809/08, dos lideres – requer a inclusão na pauta da PEC 549, isonomia dos delegados com o Ministério Público;

Se esta PEC for incluída em pauta vai gerar a seguinte situação:inclusão dos delegados na carreira jurídica; colocação dos delegados como autoridade superior no seguimento policial e de segurança pública; piso salarial para os delegados no valor mínimo de R$ 18.000,00; piso proporcional para os demais policiais civis no valor de 65% do valor supracitado R$ 11.700,00; crise em todo o sistema de segurança pública, pois vários estados começaram a integração dos órgãos de segurança pública com um tratamento isonômico nos termos dos direitos e deveres, dentre eles o salário.


2. Requerimento nº 2.811/08, do Dep. Dr. Talmir, requer a inclusão na pauta da PEC 308, criação da policia penitenciária.

Se esta PEC for incluída em pauta vai gerar a seguinte situação:

criação de mais uma policia no art. 144 da Constituição; a supervisão e a coordenação das atividades ligadas, direta ou indiretamente, à segurança interna e das áreas de segurança dos estabelecimentos penais é da polícia penitenciária e não da PM; as atividades policiais de caráter preventivo, investigativo e ostensivo, que visem a garantir a segurança e a integridade física dos apenados, custodiados e os submetidos às medidas de segurança, bem como dos funcionários e terceiros envolvidos, direta ou indiretamente, com o Sistema Penitenciário, nas dependências das unidades prisionais, inclusive em suas áreas de segurança é da polícia penitenciária; a recaptura de presos foragidos das unidades penais – polícia penitenciária; a execução da atividade de escolta dos apenados, custodiados e dos submetidos às medidas de segurança, para os atos da persecução criminal, bem como para o tratamento de saúde – polícia penitenciária; os PMs e BMs do DF poderão optar para integrar a polícia penitenciária; o Fundo Constitucional do DF será também destinado à polícia penitenciária do Distrito Federal.


3. A inclusão na pauta da PEC 534, transformação da guarda municipal em policia municipal.

Se esta PEC for incluída em pauta vai gerar a seguinte situação:as guardas serão transformadas em super órgão de segurança pública, com a competência geral; as guardas municipais terão a competência de proteção a pessoa que envolve o policiamento ostensivo e também a defesa civil, atingindo a polícia militar e o corpo de bombeiros militar; teremos mais um órgão a conflitar com a PM e o CBM; teremos mais um órgão a disputar recursos federais e estaduais com a PM e o CBM.


4. Projeto de Lei nº 1949/2007, do governo federal, lei geral das polícias civis, que se encontra na comissão de trabalho da Câmara dos Deputados, e tem como Relator o Deputado Delegado de Policia do Estado de Goiás João Campos.

Este projeto invade de forma inconstitucional as competências das Polícias Militares nos seguintes artigos:

· art. 2o ; a polícia civil, fica com a competência da preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio e a prevenção e repressão das infrações penais;

· art. 5º; a polícia civil compete a preservação da ordem e segurança públicas, da incolumidade das pessoas e do patrimônio, promovendo ou participando de medidas de proteção à sociedade e às pessoas; e o gerenciamento de crises.

art. 26; são atribuições privativas de delegado de polícia a elaboração do termos circunstanciados e outros procedimentos legais para a apuração de infração penal ou ato infracional; e requisitar, no interesse das investigações policiais material, efetivo e documento da PM e do CBM e o não atendimento implicará responsabilidade penal, cível e administrativa de quem lhe der causa.

:

5. Projeto de Lei nº 4209/2003, do governo federal, altera o código de processo penal colocando como competência exclusividade da policia civil a elaboração do termo circunstanciado.

Se este projeto for aprovado vai gerar a seguinte situação:contraria a decisão unânime do supremo tribunal federal na ADI nº 2.862/03 que decidiu pela manutenção da elaboração do Termo Circunstanciado pela Polícia Militar do Estado De São Paulo; contraria o interesse público, pois vários estados da federação já consolidaram a lavratura do termo circunstanciado, sendo que já foram encaminhados milhares de termos circunstanciados para a justiça, com aprovação pela população, pelo Ministério Público e pelo Poder Judiciário; burocratiza o juizado especial criminal contrariando os princípios norteadores da celeridade, informalidade, simplicidade, economicidade e oralidade; burocratiza o trabalho da polícia civil; causa grave prejuízo ao cidadão que deixará de ser encaminhado diretamente para o juizado especial; gera impunidade, pois o infrator deixará de ter a certeza da punição imediata; causa sérios prejuízos para a sociedade, pois a viatura policial e os policiais ficarão no distrito policial aguardando a feitura do registro pela policia civil, deixando de fazer policiamento preventivo e atender os chamados urgentes.


Fonte: Associação dos Oficiais Militares Estaduais do Brasil

sábado, 7 de fevereiro de 2009

CONVOCAÇÃO DE REUNIÃO DA CHAPA UNIÃO, LUTA E FÉ.

Prezados companheiros, saudações.

Convoco todos os componentes da CHAPA UNIÃO, LUTA E FÉ (Diretoria, Conselho Fiscal, Delegados e Suplentes) para uma reunião de negócios internos da ASPEPE, a ser realizada no próximo dia 12.02.2009, para tratarmos dos detalhes da eleição do próximo dia 17.02.2009, dentre outros.

LOCAL: Auditório do SINDSERPE - R. Engenheiro Ubaldo Gomes de Matos, Nº 119 – 8º andar. Ed. Marquês do Recife - Bairro Stº. Antônio - Fone: (81) 3224-5623. (Próximo a Pça. do Diário, por trás do Ed. JK)

HORÁRIO: 15:00 hs.

Solicitamos que os demais colegas, ao tomarem conhecimento do evento, informem aos colegas da chapa para comparecerem a reunião, pois, até o momento, não conseguimos contactar com todos.

PS. Fiquem atentos ao Edital da Eleição que será postado em breve já estão sendo providenciandos os ofícios informando o calendário de eventos da ASPEPE, neste mês de fevereiro, ao Secretário da SERES e Gestores das Unidades Prisionais para que não hajam obstáculos ao processo em andamento.

Obrigado.

Nivaldo de Oliveira Jr
Presidente da ASPEPE


sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES

ASPEPE
Associação dos Servidores do Sistema Penitenciário de Pernambuco

O Presidente da Associação dos Servidores do Sistema Penitenciário de Pernambuco, no uso das suas atribuições legais e em cumprimento ao disposto nos arts. 46 do Estatuto da ASPEPE convoca todos os servidores filiados, associados da ASPEPE, para a eleição de Aclamação da CHAPA 1 - UNIÃO, LUTA E FÉ, através da Convocação em Assembleia Geral.

A votação por aclamação dar-se-á pelo fato da Chapa 1 SER A ÚNICA registrada dentro do prazo legal estabelecido; data esta deliberada em Assembleia Geral no dia 04 de novembro de 2008. Esta convocação aos Associados se realizará na forma do presente Edital.

DATA: 17 de fevereiro de 2009.
HORÁRIO: 15:00 hs

LOCAL: Pátio do Prédio da SERES, Rua do Hospício nº 751, Boa Vista, CEP: 50.050-050

1.DA FORMA DE ELEIÇÃO

A eleição será realizada por meio de chapa formada por lista fechada onde serão indicados os candidatos efetivos e suplentes de cada categoria.


2. DO VOTO
2.1 O voto é facultativo para todos os associados e filiados à Associação dos Servidores do Sistema Penitenciário de Pernambuco - ASPEPE.
2.2 O Associado ou filiado deve estar legalmente inscrito até o dia da eleição.
2.3 No ato de votação, o associado deverá apresentar a sua identidade profissional ou qualquer outro documento oficial com foto.
2.4 O resultado será por meio de contagem de votos na Assembléia Geral e colocada posteriormente no livro de ata.
2.5 A Urna deverá estar devidamente lacrada, com o numero registrado no Livro de Ata, antes do início da Votação.

3. DAS VAGAS A SEREM PREENCHIDAS
Deverão ser preenchidas as vagas de (06) membros da Diretoria e (03) suplentes da Diretoria, (03) membros do Conselho Fiscal, (03) suplentes do Conselho Fiscal e 08 (oito) Delegados representantes da Categoria.

4. DO REGISTRO DE CHAPAS
4.1 A Data para o registro de chapas foi decidido em Assembléia Geral no Dia 04 de novembro de 2008, e foi determinado que a data limite seria até o dia 04.02.2009, amplamente divulgado em EDITAL de Convocação para inscrição das Chapas. E Fixado nos Quadros das Unidades e Prédios da SERES, e Publicado no Blog: http://asppernambuco.blogspot.com/.
4.2 Deverá ser observada a reserva mínima de 30% (trinta por cento) do total das vagas para Suplentes.

5. DA VOTAÇÃO
5.1 A Urna eleitoraL funcionará no Prédio da SERES, e constará lista de associados.
5.2 A votação será feita na Assembĺéia Geral e terminará depois da contagem dos votos e com a divulgação do resultado.
5.3 O direito de votar será exercido ressalvado o direito de preferência aos idosos, gestantes e portadores de necessidades especiais.
5.4 Os Associados ou filiados assinarão a lista de votantes.
5.5 As chapas regularmente registradas poderão indicar fiscais para atuar junto a Urna eleitoral.
5.6 Aos candidatos é facultado o direito de atuar na fiscalização na Urna eleitoral.

6. DAS NULIDADES
6.1 Será nula a eleição que:
a) for realizada e encerrada em dia, hora e local diversos dos designados;
b) ocorra com vício de fraude, coação ou falsidade que comprometa a sua legitimidade.
6.2 A nulidade por divergência entre o número de votantes e o registrado na urna só será declarada se o total de votos for suficiente para alterar o resultado do pleito.

7. DOS RECURSOS
7.1 Qualquer representante de chapa poderá interpor recurso, sem efeito suspensivo, contra o resultado da eleição.
7.2 O recurso será protocolado no prédio do SINDSERPE, no prazo de 5 (cinco) dias após a publicação do resultado da eleição.
7.3 A Diretora Administrativa / Financeira do SINDSERPE, Simone Sá de Oliveira, caberá receber o recurso, informá-lo e encaminhá-lo ao ATUAL Direção da ASPEPE, juntamente com o processo eleitoral.

8. DA POSSE

A Posse dos novos membros da Diretoria, Suplentes e Conselho Fiscal será efetivada no dia 06.04.2009, conforme ficou estabelecido na Assembléia Geral do Dia 04.11.2008. A posse dos Delegados ou representantes de base, será no dia 19.05.2009, dentro dos 45 dias após a posse dos membros da Diretoria, e um mandato de três anos, conforme previsto em estatuto.

9. DA CHAPA

A única Chapa inscrita dentro do prazo legal foi conforme abaixo:

CHAPA 1 - UNIÃO, LUTA E FÉ
DIRETORIA
CARGO NOME Lotação
Presidente Nivaldo de Oliveira Júnior GTJP - SERES
Vice-Presidente João Batista de Carvalho Filho SSPen - SERES
Séc. Geral Reyvson Ricardo A. de França PIG
Séc.-Adjunto Simone Ferreira da Silva Melo PEPG
Tesoureiro Wellington Oliveira dos Santos PAISJ
Vice-Tesoureiro Isanias Nasson Silveira da Fonseca PJPS

SUPLENTES DA DIRETORIA
SUPLENTE - NOME Lotação

Francisco Cláudio Souza Costa PDAD
Luciano Lira do Nascimento CPFR
Walter Celestino dos Santos PPBC
CONSELHO FISCAL
TITULAR - NOME Lotação
Henrique Douglas Silva Gomes Escola Penitenciária
Adalberone André Santiago PRRL
João Batista dos Santos Júnior CPFB

SUPLENTE - NOME Lotação
Edgma Narciso dos Anjos PVSA
Severino Araújo Cavalcanti Júnior PSAL

Raniele da Silva de Aquino PDEG
DELEGADOS
TITULAR - NOME LOTAÇÃO
Fabiano Tolentino Carneiro Campello GTJP
Pascoal Torchia de Lira PDAD
Sérgio Barbosa Fernandes GTI

Izauro Garcia Rodrigues COTEL

Eduardo José da Silva PPBC

Cosmo Soares de Melo CRA

Sandro Aires de Oliveira PABA

Edson Severino da Silva Produção


RECIFE – PE, 06 de FEVEREIRO de 2009

Nivaldo de Oliveira Júnior
Presidente da ASPEPE