quinta-feira, 28 de julho de 2016

DIRETORIA DO SINDASP-PE VISITA A PENITENCIÁRIA DR. ÊNIO PESSOA GUERRA EM LIMOEIRO ONDE PARTICIPA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NO PROJETO TODOS PELA SERES

O Sindicato está participando através de sugestões e colaborando na formação do planejamento estratégico da Secretaria Executiva de Ressocialização, que foi criado "Projeto Todos pela SERES".

   Vice-Pesidente Márcia e Agentes Aldemir, Jô, Leônidas, Edvaldo, 
Diretor do Sindasp Joaquim e o Agente Edésio

Está sendo realizado visitas em todas Unidades Prisionais do Estado, com o intuito de ser realizado um relatório e um raio x das deficiências e necessidades do Sistema Penitenciário.

Nesta quarta-feira (27.07.2016), visitou o Penitenciária Dr. Ênio Pessoa Guerra, no município de Limoeiro -PE.

Sindasp-PE defende Agente Penitenciário que fez ser seu direito reconhecido a entrar e a portar arma no Banco Bradesco



Na entrada do agente penitenciário Cristovão  no Banco Bradesco da rua da concórdia nesta quarta-feira (27.07.2016), ocorreu um constrangimento. O  funcionário do Banco Bradesco barrou na entrada e relatou ao agente que o mesmo na tinha direito a porta arma de fogo dentro daquela repartição.

Diante do caso, o agente penitenciário Cristovão entrou em contato com o sindicato.

Ao receber a informação  o Presidente João Carvalho, que encontra-se em férias disponibilizou-se e compareceu ao Banco.

Na mesma hora, o Presidente também convocou o advogado para caso. A convocação seria para amparar o associado caso precisasse realizar alguma ocorrência.

O Presidente João Cavalho levou a documentação ao local, que comprova o direito ao porte fora de serviço e defendeu o direito argumentando.

Toda documentação foi entregue ao gerente e advogado do banco.

Diante do fato, foi mostrado  documentos e com as argumentações aos referidos,  gerente e  advogado do banco, que não tiveram outro jeito e reconheceram o direito do agente penitenciário a adentrar armado ao banco Bradesco.

O agente penitenciário não quis levar o caso à delegacia para autuar o funcionário do banco, pois teve seu direito finalmente reconhecido.

O Presidente João Carvalho ainda disponibilizou o jurídico para o ingresso de uma ação judicial. O agente penitenciário vai entrar com uma ação por dano por constrangimento.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

PRESIDENTE DO SINDASP-PE JOÃO CARVALHO NO BOM DIA BRASIL: FALA DA FALTA DE EFETIVO


NOTÍCIA DO G1


26/07/2016 18h12 - Atualizado em 26/07/2016 18h12

Medidas após rebeliões no presídio de Caruaru, PE

Convivência na penitenciária era pacífica, afirmou o secretário Pedro Eurico. 
Duas rebeliões foram registradas e seis pessoas morreram no sábado (23).

Do G1 Caruaru
Após as duas rebeliões na Penitenciária Juiz Plácido de Souza em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, anunciou medidas para a unidade. Em entrevista à TV Asa Branca nesta terça-feira (26), ele disse que um processo de licitação está aberto para a compra de bloqueadores de sinal de celular.

Ele disse que o presídio de Caruaru ainda tem sinal de celular. "A tecnologia anda na frente do processo licitatório. Todos os dias temos celulares novos", afirmou Pedro Eurico. Sobre a análise dos processos, 20 advogados foram contratados, conforme o secretários, para auxiliar no mutirão e agilizar a reavaliação das penas dos detentos.

O secretário detalhou que um concurso para agentes penitenciários está aberto e oferta - na primeira etapa - 200 vagas que devem ser preenchidas até o final do ano. Segundo ele, esta foi uma revindicação do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindasp). Pedro Eurico explicou que uma nova função entrará em vigor a figura do assistente ressocializador, que dará apoio ao agente penitenciário.


Sobre o incêndio na penitenciária, o secretário disse que "os danos não foram tão graves e foi comprometida a parte de limpeza e banheiros". De acordo com Pedro Eurico, as áreas de cozinha, enfermaria, escola e administração não foram afetadas. Ele explicou que há equipes de engenheiros, arquitetos e técnicos de edificações para analisar os danos na unidade.


Para Pedro Eurico, a convivência dos presos antes das rebeliões era "pacífica". "Infelizmente essa cadeia se rompeu. Rompeu-se porque chegaram alguns querendo praticar violência, praticar extorsão e cobrança ilegal de serviços", explicou.


Superlotação
O presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária, João Carvalho, disse que o presídio tinha 1.542 presos acima da capacidade. Em entrevista à TV Asa Branca, ele afirmou que havia 1.922 detentos na unidade, que tem capacidade para abrigar 380.


Segundo ele, além da superlotação, outro problema do presídio em Caruaru é a presença dos "chaveiros". Ele explicou que os chaveiros (presos que cuidam de celas e ficam com as chaves de alguns setores) dificultam o trabalho dos agentes penitenciários.

terça-feira, 26 de julho de 2016

NOTÍCIAS DO G1 : Rebelião deixa mais 10 feridos no Presídio de Caruaru, confirma Seres


Do G1 Caruaru
Equipes da PM, Samu e Corpo de Bombeiros estão na Penitenciária Juiz Plácido de Souza (Foto: Anderson Melo/TV Asa Branca)Equipes da PM, Samu e Corpo de Bombeiros estão na Penitenciária Juiz Plácido de Souza (Foto: Anderson Melo/TV Asa Branca)
Pelo menos 10 detentos ficaram feridos na rebelião que teve início às 7h desta segunda-feira (25) na Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, Agreste de Pernambuco - segundo a Secretaria de R. Ao G1, o comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar, o tenente-coronel Roberto Galindo, informou que há fogo no local. "Os presos estão rebelados. Nada foi controlado ainda", disse. No sábado (23) ocorreu uma rebelião na mesma penitenciária - que terminou com seis mortos e 11 feridos.


De acordo com o Corpo de Bombeiros, quatro detentos foram socorridos. Dois deles foram levados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para unidade de saúde ainda não informada. A reportagem da TV Asa Branca está no local e confirma ao menos sete presidiários atendidos pelo Samu até às 9h.

Segundo informações da Polícia Militar, equipes da PM, do Corpo de Bombeiros e ambulâncias Samu ainda estão no local. Ainda não há informações sobre novas mortes na unidade prisional, conforme informou a polícia.'

Superlotação

O presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária, João Carvalho, disse que o presídio tinha 1.542 presos acima da capacidade. Em entrevista à TV Asa Branca, ele afirmou que havia 1.922 detentos na unidade, que tem capacidade para abrigar 380.

"Tem seis ou sete [agentes penitenciários] quando era para ter 80", explicou o presidente do sindicato. Ele detalhou que os agentes se sentem prejudicados "pelas condições mínimas de trabalhar em uma unidade com uma superpopulação carcerária".

Superlotação


O presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária, João Carvalho, disse que o presídio tinha 1.542 presos acima da capacidade. Em entrevista à TV Asa Branca, ele afirmou que havia 1.922 detentos na unidade, que tem capacidade para abrigar 380.

"Tem seis ou sete [agentes penitenciários] quando era para ter 80", explicou o presidente do sindicato. Ele detalhou que os agentes se sentem prejudicados "pelas condições mínimas de trabalhar em uma unidade com uma superpopulação carcerária".

fonte:


REVISTA ISTOÉ

Rebelião em presídio de PE tem 6 mortos


AddThis Sharing Buttons

Uma rebelião realizada na sexta, 22, na Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, terminou com seis mortos e 11 feridos. As informações foram confirmadas neste sábado, 23, pela Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), depois de declarações feitas pelo presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, João Carvalho, que alertou sobre a “fragilidade” da segurança da unidade, onde atualmente estão abrigados 1.922 detentos.
Durante a rebelião pelo menos dois prédios foram atingidos pelas chamas de um incêndio provocado pelos detentos. A identidade das vítimas e dos feridos não foi divulgada. Todos os mortos eram presos. Um inquérito será aberto para apurar as mortes registradas.
As visitas desse sábado foram suspensas, provocando nervosismo e preocupação entre as famílias dos detentos. Em nota, a Seres afirmou que não houve fuga e a situação é considerada estável no presídio. A motivação da rebelião, no entanto, não foi esclarecida.
Na noite do sábado, em entrevista a uma rádio local, o secretário de Ressocialização, Pedro Eurico, afirmou que os presidiários estariam “insatisfeitos com a transferência de um grupo de detentos para outras unidades prisionais do Estado”.
De acordo com o sindicato dos agentes penitenciários, o número de profissionais atuando, por plantão, é insuficiente e o clima é de “muita insegurança”. Segundo a entidade, o presídio está com mais que o dobro de sua capacidade, que é de 800 vagas.
“Temos de seis a sete agentes por plantão. Estamos falando de uma unidade com quase dois mil presos. Era para ter pelo menos 80 agentes. Há grupos rivais disputando o comando da unidade e algo ainda mais grave pode acontecer a qualquer momento”, destacou Carvalho.
Decapitação
Imagens captadas pelas câmeras de segurança teriam, segundo o presidente do sindicato, gravado cenas da decapitação de um dos mortos. Mas a informação não foi confirmada pela Seres.
Participaram do combate à rebelião policiais do Grupo de Operações e Segurança (GOS/Seres) e efetivos das polícias Militar e Civil.

FONTE:
http://istoe.com.br/

Matéria no Jornal O GLOBO
Fonte: http://oglobo.globo.com

VICE PRESIDENTE DO SINDASP-PE FALA SOBRE A FALTA DE EFETIVO E CONDIÇÕES DE TRABALHO E RELATA SOBRE A REBELIÃO NA PJPS- CARUARU



segunda-feira, 25 de julho de 2016

TV JORNAL: ENTREVISTA DO PRESIDENTE DO SINDASP-PE JOÃO CARVALHO SOBRE A REBELIÃO DA PENITENCIÁRIA JUIZ PLÁCIDO DE SOUZA -CARUARU NESTE SÁBADO (23.07.2016)


NOTÍCIA DO G1

25/07/2016 09h06 - Atualizado em 25/07/2016 09h33

Rebelião deixa mais cinco feridos no Presídio de Caruaru, diz Polícia Militar


Primeira rebelião ocorreu no sábado (23); já são seis mortos e 16 feridos.
'Nada foi controlado ainda', disse o tenente-coronel Roberto Galindo ao G1


Equipes da PM, Samu e Corpo de Bombeiros estão na Penitenciária Juiz Plácido de Souza (Foto: Anderson Melo/TV Asa Branca)
Equipes da PM, Samu e Corpo de Bombeiros estão na Penitenciária Juiz Plácido de Souza (Foto: Anderson Melo/TV Asa Branca)
.
Pelo menos cinco detentos ficaram feridos na rebelião que teve início às 7h desta segunda-feira (25) na Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, Agreste de Pernambuco. Ao G1, o comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar, o tenente-coronel Roberto Galindo, informou que há fogo no local. "Os presos estão rebelados. Nada foi controlado ainda", disse. No sábado (23) ocorreu uma rebelião na mesma penitenciária - que terminou com seis mortos e 11 feridos.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, quatro detentos foram socorridos. Dois deles foram levados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para unidade de saúde ainda não informada. A reportagem da TV Asa Branca está no local e confirma ao menos sete presidiários atendidos pelo Samu até às 9h.

Segundo informações da Polícia Militar, equipes da PM, do Corpo de Bombeiros e ambulâncias Samu ainda estão no local. Ainda não há informações sobre novas mortes na unidade prisional, conforme informou a polícia.
























Superlotação
.
O presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária, João Carvalho, disse que o presídio tinha 1.542 presos acima da capacidade. Em entrevista à TV Asa Branca, ele afirmou que havia 1.922 detentos na unidade, que tem capacidade para abrigar 380.

"Tem seis ou sete [agentes penitenciários] quando era para ter 80", explicou o presidente do sindicato. Ele detalhou que os agentes se sentem prejudicados "pelas condições mínimas de trabalhar em uma unidade com uma superpopulação carcerária".
Segundo ele, além da superlotação, outro problema do presídio em Caruaru é a presença dos "chaveiros". Ele explicou que os chaveiros (presos que cuidam de celas e ficam com as chaves de alguns setores) dificultam o trabalho dos agentes penitenciários.
FONTE:
,


DIRETORIA DO SINDASP-PE ESTEVE PRESENTE NA REBELIÃO DA PENITENCIÁRIA JUIZ PLÁCIDO DE SOUZA DANDO APOIO AOS AGENTES PENITENCIÁRIOS



O Presidente do Sindicato João Carvalho, a Vice -presidente Márcia e o Diretor Junio estiveram presentes dando apoio no final de  semana durante a rebelião da Penitenciária Juiz Plácido de Souza.

O Sindicato vei também com o apoio jurídico, Dr. Eduardo, para proteção aos agentes penitenciários da unidade prisional.



No momento o Presidente João Carvalho conversou com o Secretário Executivo de Ressocailização Cícero e o Diretor da PJPS- Caruaru que não poderia ser realizado visita no Domingo, pois a unidade prisional estava distruída e devido ao clime de tensão.

        Diretor da Pjps -Caruaru, Secretário Executivo de Ressocialização e Presidente do Sindasp-PE

Na reunião ficou acertado que estaria suspensa as visitas no Domingo.

 O presidente do Sindasp -pe concedeu entrevista sobre o fato a mídia televisa e de jornais e rádios.



Presente na Unidade



Presidente do Sindasp -PE vistoriando 
dentro da Unidade
 a quantidade de mortos, durante a noite.


VÍDEO





NOTÍCIAS NO JORNAL DO COMÉRCIO E TV JORNAL: ENTREVISTA DO PRESIDENTE DO SINDASP-PE DENUNCIA FALTA DE EFETIVO E PRESENÇA DE CHAVEIROS

Rebelião em presídio de Caruaru termina com saldo de 6 mortos

Confirmação foi dada pela Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) na manhã deste domingo.

A transferência dos presos começou por volta da meia noite. Segundo a Seres, 11 detentos foram levados para outras unidades da região  / Foto: Divulgação
A transferência dos presos começou por volta da meia noite. Segundo a Seres, 11 detentos foram levados para outras unidades da região
Foto: Divulgação
JC Online

A Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) confirmou 6 mortos e 11 feridos na Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, no Agreste do Estado, após a rebelião desse sábado (23). A informação havia sido dada pelo presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, João Carvalho, em entrevista à página Caruaru no Face, na manhã deste domingo (24) e confirmada pelo Instituto Médico Legal (IML). Os corpos seguem sem identificação ou causa de morte.  

Em nota, a Seres informou que os feridos foram encaminhados ao Hospital Regional do Agreste e três deles já retornaram à unidade. Em razão do incêndio ter destruído dois pavilhões da unidade, as visitas que ocorreriam neste domingo, serão programadas para o decorrer da semana. 

Em entrevista na noite do sábado, o secretário Pedro Eurico afirmou que a situação estaria sob controle, mas não informou o número de vítimas ou mortos. "Se aconteceu algum óbito, vamos investigar. Não vamos abrir mão de punir quem praticou homicídio". Sobre a motivação, o secretário afirmou que um grupo não aceitou a transferência de um dos presos, que teria acontecido na semana passada. Pedro Eurico assegurou que "o comando do sistema penitenciário é do Estado, do governo. Não existe comando paralelo. Preso não manda na cadeia".  



A confusão começou por volta das 16h30 e só foi contida após 4 horas. Depois da meia noite, foram transferidos 11 detentos para outras unidades da região. Um vídeo divulgado na página Caruaru no Face mostra o momento em que os presos deixam a unidade. Participaram da ação o Grupo de Operações e Segurança (GOS/Seres), efetivos das polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu). Um inquérito será aberto para apurar as mortes registradas.

Os prejuízos, segundo João Carvalho, foram grandes. "Quase todos os pavilhões ficaram destruídos. Ficou somente a cozinha e o setor de disciplina", contou o presidente do sindicato. Sobre a figura do chaveiro, que teria sido uma das motivações da rebelião, Carvalho explicou que a falta de agentes penitenciários permite a existência da função. "Temos de 6 a 7 agentes para 1922 presos, quando deveríamos ter cerca de 80 por plantão".  

O Tenente Coronel Roberto Galindo, da Polícia Militar, afirmou que não existem fugitivos. "Segundo a direção do presídio, não houve nenhuma fuga. Mas eles estão fazendo uma recontagem por precaução". O militar garantiu ainda que uma ronda será feita dentro do presídio, apesar de a situação ter normalizado.  
Junto com os presos foram encontrados facões artesanais, pedaços de pau e pedras, usados na rebelião. Nenhuma arma de fogo estraria entre os materiais apreendidos pela polícia.

domingo, 24 de julho de 2016

NOTÍCIA NO G 1 E TV GOLBO - CARUARU: PRESÍDIO TINHA 1542 PRESOS ACIMA DA CAPACIDADE PERMITIDA, DIZ SINDICATO

Seis mortes foram confirmadas durante rebelião em Caruaru, segundo Seres. 
Presos se rebelaram no sábado (23) e onze ficaram feridos, diz secretaria.

João Carvalho diz que superlotação atrapalha trabalho dos agentes penitenciários (Foto: Reprodução/TV Asa Branca)

O presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária, João Carvalho, disse que o presídio Juiz Plácido de Souza em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, tinha 1542 presos acima da capacidade. Detentos se rebeleram no sábado (23) e seis pessoas morreram, de acordo com a Secretaria Executiva de Ressocialização.


Carvalho, em entrevista à TV Asa Branca, afirmou que tinham 1922 detentos na unidade, que tem capacidade para 380. "Tem seis ou sete [agentes penitenciários] quando era pra ter 80", explicou o presidente do sindicato. Ele detalhou que os agentes se sentem prejudicados "pelas condições mínimas de trabalhar em uma unidade com uma superpopulação carcerária".

Segundo ele, além da superlotação, outro problema do presídio em Caruaru é a presença dos "chaveiros". Ele explicou que os chaveiros (presos que cuidam de celas e ficam com as chaves de alguns setores) dificultam o trabalho dos agentes penitenciários.
"Se não tivessem os 'chaveiros' não teriam esses problemas de presos ganhando dinheiro em cima de outros presos. Eles [os chaveiros] tem o controle do tráfico e da prostiuição dentro do presídio, porque tem mais poder do que os outros", afirmou João Carvalho.


Rondas no presídio

O comandante do 4º Batalhão, tenente-coronel Roberto Galindo, disse que a Polícia Militar vai realizar rondas no presídio. "Apesar da situação de normalidade vamos manter esse reforço. Eles [os presos] entregaram alguns materiais, como paus, pedras e facões artesanais", afirmou.

Reunião com a OAB
A Ordem dos Advogados do Brasil seccional Caruaru informou ao G1 que mais treze presos de alta periculosidade foram transferidos para o presídio de Canhotinho, no Agreste. A Seres informou em nota, no domingo (24), que outros onze detentos já tinham sido transferidos.

O presidente da OAB em Caruaru, Felipe Sampaio, afirmou que será feito um mutirão para analisar os processos dos presos e avaliar quais deles já podem sair da unidade prisional.

Seis pessoas morreram na Penitenciária Juiz Plácido de Souza, diz IML (Foto: Magno Wendel/TV Asa Branca)
Seis pessoas morreram na Penitenciária Juiz
Plácido de Souza (Foto: Magno Wendel
/TV Asa Branca)
IML confirma seis mortos

O Instituto de Medicina Legal em Caruaru confirmou ao G1 na manhã deste domingo (24) que seis pessoas morreram durante a rebelião na Penitenciária Juiz Plácido de Souza. O IML informou que os corpos ainda estão sem identificação e as causas das mortes são desconhecidas.

A Secretaria Executiva de Ressocialização informou por meio de nota que "há registros de seis mortes".  Onze feridos, segundo a Seres, foram levados ao Hospital Regional do Agreste, três deles já retornaram à unidade.
Em nota, o tenente-coronel Roberto Galindo disse que não houve fuga e a situação é considerada estável no presídio. A PM esclareceu que alguns vídeos estão sendo divulgados - de forma criminosa - nas redes sociais como se fossem em Caruaru.
"No presídio só temos efetivo extra, ou seja, o policiamento ostensivo na cidade de Caruaru não foi afetado. Pelo contrário, foi reforçado com Guarnições de cidades vizinhas, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Civil", informou a nota da Polícia Militar.